JENNY HVAL

30. ABR / DOM

JENNY HVAL

Sem modéstias, Jenny Hval é um milagre absoluto da experimentação pop. A afirmação soará forte, mas nunca tanto quanto o vigor do trabalho da artista norueguesa. Vinda de um meio performativo a palavra e o som são moldados à luz de uma linha conceptual, que tanto tem de apocalíptico quanto de esperançoso. É nesse limbo que se movimenta, jogando cartas associadas ao feminismo ou capitalismo, baralhando pequenos estímulos sensoriais dispostos à descoberta de quem a escuta. A voz libidosa releva-se nos teclados aveludados e penetra nas paisagens ásperas e frias com uma clareza sórdida do uso das letras que assina. Essa aptidão nata de disturbar e seduzir, em proporções idênticas, é possivelmente o seu trunfo; um trunfo inimitável, alcançado com apenas dois portentos discográficos cujo impacto ainda nos encontramos a digerir. O mais recente 'Bloood Bitch' aprofunda o que 'Apocalypse, Girl' já dera a sugerir, acrescentando mais pistas - e ainda mais enigmas, na verdade - ao esboço possível da figura rara de Hval.
- Nuno Afonso

  • E
  • R
  • A
  • H
  • S
LuxFrágil
AV. INFANTE D. HENRIQUE, ARMAZÉM A
CAIS DA PEDRA A STA. APOLÓNIA
PT-1950-376 LISBOA
T +351 21 882 08 90
F +351 21 882 08 99
LUX@LUXFRAGIL.COM